Curso de Decoração de Interiores Niterói, Rio de Janeiro

Curso de Decoração de Interiores em Niterói. Encontre aqui telefones e endereços de empresas e instituições de ensino em Niterói que oferecem Curso de Decoração de Interiores.

Instituto de Ciência e Tecnologia Maria Thereza Ltda
(21) 2703-9847
Rodovia Amaral Peixoto km 10,5
Niterói, Rio de Janeiro
 
Sindicato Trab da Universidade Federal Fluminense
(21) 2717-9292
Mro Outeiro São João Batista
Niterói, Rio de Janeiro
 
Curso de Administração e Sistemas de Informação
(21) 2722-2209
Praça Joaquim Murtinho s 722
Niterói, Rio de Janeiro
 
Fundação Euclídes da Cunha de Ap Institucional Uff
(21) 2622-3210
Avenida Jansen de Melo 174
Niterói, Rio de Janeiro
 
Universidade Federal Fluminense
(21) 2629-2000
Praça Valonguinho
Niterói, Rio de Janeiro
 
Instituto Maria Thereza
(21) 3604-1559
Rua Visconde do Rio Branco 881
Niterói, Rio de Janeiro
 
Fundação Euclídes da Cunha de Ap Institucional Uff
(21) 2618-0320
Rua S Paulo 30 s 710
Niterói, Rio de Janeiro
 
Associação Salgado de Oliveira de Educação e Cultura
(21) 2622-1523
Rua Acdo Valter Gonçalves 1 s 311
Niterói, Rio de Janeiro
 
Assoc Salgado Oliveira Educação Cultura Asoec
(21) 2613-5494
Rua Acdo Valter Gonçalves 1 s 311
Niterói, Rio de Janeiro
 
Instituto de Ciências e Tecnologia Maria Thereza
(21) 3602-8026
Rodovia Amaral Peixoto 10500 km 10,5
Niterói, Rio de Janeiro
 

Decoração de Interiores

A decoração de interiores tem como objetivo criar espaços internos esteticamente mais aprazíveis e ao mesmo tempo práticos. O profissional busca traçar planos que lhe permitam compor os mais variados recantos íntimos povoados pelos humanos, procurando sempre a sua funcionalidade.A história revela que todos os povos, ao longo do tempo, sempre se esforçaram para produzir ambientes mais confortáveis e aconchegantes, enfeitando e completando suas moradas com adornos belos e simultaneamente capazes de proporcionar o máximo bem-estar. Esta profissão visa, portanto, atingir associação estrutural e harmoniosa de mobiliários, cortinas, tapeçarias e outros apetrechos, com pavimentos, tetos, colunas, e demais componentes da arquitetura. Cores, iluminação e elementos variados também são imprescindíveis na composição de um nicho proporcionalmente agradável.O resultado de um projeto de decoração de interiores estará sujeito ao poder criativo do especialista, às limitações determinadas pela percepção estética, às demandas e aos meios disponibilizados pelo consumidor, assim como ao objetivo final deste cliente. O decorador terá a sua disposição recursos oferecidos pelas artes da cerâmica, da tapeçaria, da marcenaria e da carpintaria.Esta arte foi privilégio, durante um bom tempo, de uma elite que podia decorar seus aposentos com muita ostentação, sofisticação e requinte. Hoje, com a produção massiva de objetos, a classe média tem finalmente em suas mãos esta mesma possibilidade, embora os melhores profissionais e a obra-prima mais fina ainda sejam limitados a uma pequena esfera social.Na Antiguidade Clássica quase não existiam ambientes internos, pois quase tudo transcorria nos espaços abertos. A arte decorativa era restrita à harmonização dos móveis com fundos e paredes repletos de cores. Compunham também os ambientes a arte grega da cerâmica, as pinturas murais e mosaicos romanos. Na era medieval os castelos detinham o melhor da decoração, austera e simples. Já o século XVIII forma um intenso contraste com o período anterior, abrindo espaço para a estética francesa e a inspiração oriental. A delicadeza de expressão dá origem a um alto grau de sofisticação.O Renascimento traz a convencional estruturação residencial em cômodos, subvertendo os conceitos até então vigentes. Entram em cena as paredes coloridas, os telhados magnificamente enfeitados, mobiliários pomposos e enfeites produzidos com metais finos, os quais provinham da Itália, da França, da Inglaterra, da Espanha e da Alemanha, aqui enriquecidos pelo estilo gótico. Na França, durante o governo de Luís XIV e posteriormente, ao longo da Regência, instaura-se uma arte mais feminina e suave, dando origem ao Rococó, que se estende também para a Itália e a Alemanha. Com a morte de Luís XV este estilo desaparece velozmente.Ressurgem os valores clássicos com o Neoclassicismo, enquanto as concepções próprias da aristocracia são substituídas pelos valores democráticos. A classe média impera e vence o ponto de vista burguês. No final do século XIX nasce o Modernismo e o conceito do ‘art nouveau’. Esta concepção traz em si um mix de todas as tendências anteriores e elementos formados por linhas curvas, e rapidamente se propaga por toda a América. No século XX o critério funcional prevaleceu, especialmente no pós-Primeira Guerra Mundial, quando foram criadas variadas teorias neste campo.Hoje estão em primeiro plano as exigências do cotidiano, as demandas sociais e familiares, os recursos econômicos, o potencial do próprio ambiente, a opção por um determinado estilo. Tudo deve estar voltado para a mais completa praticidade, o conforto, o aconchego e a harmonia estética.Esta profissão pode ser bem remunerada, pois acima de tudo é uma arte. O profissional pode adquirir seu próprio atelier ou trabalhar em lojas ou em qualquer campo ligado às atividades decorativas, podendo obter salários significativos.Fonteshttp://www.emdiv.com.br/pt/arte/enciclopediadaarte/1116-a-arte-da-decoracao-de-interiores.htmlhttp://www.criart.com.br/curso_corresp.htm